Queiroz Galvão: corra que a polícia vem aí

A PF descobriu que a Queiroz Galvão mandou para o exterior Augusto Amorim Costa, o diretor financeiro da empresa encarregado de pagar propinas aos corruptos da Petrobras.

Ele era subordinado de Ildefonso Colares Filho e Othon Zanoide de Moraes, presos hoje.

Amorim Costa se mandou logo depois de Ildefonso e Othon terem sido soltos na 7ª etapa da Lava Jato.

O Estadão transcreveu um trecho do despacho de Sérgio Moro, sobre a necessidade de preventiva para os dois executivos da Queiroz Galvão:

“Desde então Augusto Amorim Costa permanece refugiado no exterior. O fato de subordinado de Ildefonso Colares Filho e de Othon Zanoide de Moraes e pessoa especificamente envolvida no repasse de propinas ter se refugiado no exterior após o início das investigações é mais um indicativo de risco à investigação e à instrução, soando o ato como dissipação de provas”.

Faça o primeiro comentário