"Queria continuar aqui", diz cubano

O Estadão informa que pelo menos 150 médicos cubanos desertores do programa federal lutam na Justiça para poder clinicar no Brasil de forma independente, fora do acordo entre Brasil e Cuba, ganhando salário integral.

Desde que Cuba se retirou do Mais Médicos, o telefone do advogado André de Santana Corrêa, que defende os estrangeiros, não para de tocar:

“Recebi muitas ligações de interessados em entrar com processo para ficar no Brasil.”

O futuro do Brasil: venha discutir com DIOGO MAINARDI, MARIO SABINO, CLAUDIO DANTAS e convidados. AQUI

O jornal ouviu o depoimento de um cubano que abandonou o programa em 2017.

“Não achava justo ficarmos apenas com 25% do salário. Além disso, casei com uma brasileira e tive um filho. Queria continuar aqui.”

Enquanto espera a resposta judicial, acrescenta a reportagem, ele sobrevive com a renda de um pequeno comércio que montou na cidade — na região Norte — com a esposa.

Comentários

  • Goreba -

    Aos médicos cubanos basta esperar a posse do Pres. Bolsonaro que a vida deles e das famílias, em terras brasileira, terá solução CIVILIZADA! O PT com seus capatazes não mais escravizarão os cub

  • elisabeth -

    Conheço o sistema cubano, manda um profissional e prendem sua familia para assim garantir seus ganhos e obrigar o cidadão a voltar, e se resolver voltar um dia prisão é o que lhes espera.

  • Marcus -

    Não tem nem que ver . Se casou e ainda por cima teve um filho brasileiro, tem o direito de ficar. Os Castro é que vão catar coquinhos, porra!

Ler 130 comentários