Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Randolfe para Marcos do Val: "Me respeite, você e as suas milícias". Depois, senador se desculpou

Vice-presidente da CPI da Covid discutiu com senador do Podemos por causa da retirada de presos dos grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização
Randolfe para Marcos do Val: “Me respeite, você e as suas milícias”. Depois, senador se desculpou
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Marcos do Val (Podemos-ES) discutiram hoje, durante a sessão da CPI da Covid, por causa da retirada de presos dos grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização.

Marcos do Val disse a Randolfe que a população carcerária não merecia tratamento especial.

“Os presos já estão em isolamento. Não tem que dar prioridade a preso, tem que priorizar a sociedade.”

O vice-presidente da CPI afirmou então que Marcos do Val estava dizendo “uma asneira absurda” e “condenando pessoas à morte”, quando começou a discussão.

Randolfe então disse a Marcos do Val: “Me respeite, você e as suas milícias, seja de rede social, seja de qualquer lugar”. Depois, Randolfe pediu desculpas ao colega e pediu para retirar a acusação das notas taquigráficas do Senado.

Presos e PNI

A discussão começou depois que Francieli Fantinato, ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunização, afirmou que partiu do coronel Elcio Franco a ordem, sem qualquer justificativa técnica, para retirar os presos dos grupos prioritários do PNI.

“Se vocês quiserem tirar a população privada de liberdade, vão tirar sem o aval do programa [nacional de imunização]. Vocês farão uma cópia do plano, vão ficar com essa cópia, e eu vou levar minha cópia”, disse a enfermeira.

Segundo Francieli, a Secretaria Executiva da Saúde “tinha a autonomia se quisesse tirar”, mas, pelo PNI, a população prisional não seria excluída.

A ex-coordenadora do PNI também afirmou que gostaria de ter ido na mídia falar de programa de vacinação, mas a equipe de comunicação do ministério dizia que “não conseguia acesso”.

Assista ao momento da discussão:

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO