RAQUEL NÃO INVESTIGOU TEMER NA CAIXA DE PANDORA?

Na sabatina de Raquel Dodge, a nova PGR deverá ser questionada sobre o que fez com as denúncias envolvendo Michel Temer, Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves e Tadeu Filippelli na Operação Caixa de Pandora.

Além de entregar um vídeo em que conversa com o empresário Alcir Collaço sobre o mensalinho recebido pela quadrilha do PMDB da Câmara, no esquema envolvendo José Roberto Arruda (ex-DEM), o delator Durval Barbosa confirmou à procuradora detalhes dos repasses.

No vídeo abaixo, Durval fala que Arruda dava 1 milhão de reais à turma do PMDB da Câmara, mas é corrigido por Collaço: “Não, não. Ele dava 800 paus. 500 ao Filippelli, 100 pro Michel, 100 pro Eduardo e 100 pro Henrique Alves.”

O delator dá a entender que a propina foi paga no exterior numa “operação internacional” com Henrique Alves e Cunha, o que coincide com o modus operandi descoberto pela Lava Jato com pagamentos em contas secretas em nome de offshores.

Faça o primeiro comentário