Realismo x faz de conta

Ronaldo Caiado, há pouco, na comissão especial do impeachment no Senado:

“É importante frisar que este processo, apesar de triste e doloroso, tem um papel didático importantíssimo para a sociedade brasileira. Como bem disse o procurador Júlio Marcelo, este processo – além de desmascarar o uso criminoso dos recursos públicos – deixa um legado de que é necessário ter ‘realismo fiscal e responsabilidade fiscal efetiva, não de faz de conta’.”

O falatório de Vanessa Grazziotin e, neste momento, o de Fátima Bezerra é tudo faz de conta.