Receita continuará autuando 'missionários fajutos'

Receita continuará autuando missionários fajutos

A nova lei parcialmente sancionada por Jair Bolsonaro pretende anular as autuações feitas pela Receita Federal após a aprovação de outra lei, em 2015, que impediu a incidência de contribuição previdenciária sobre a ‘prebenda’ – o pagamento feito ao pastor ou líder religioso por seus serviços.

A questão é que a maior parte dessas autuações se refere a pagamentos de salários de funcionários comuns disfarçados de ‘missionários’. O Fisco não é bobo e seguirá multando igrejas que abusarem da lei.

Essa interpretação, inclusive, está consolidada em dois acórdãos recentes do Carf relativos a autuações contra práticas da igreja de R.R.Soares, que, no máximo, poderá judicializar seu pleito.

Leia mais: Gleisi e Bolsonaro do mesmo lado
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 38 comentários
TOPO