ACESSE

Decisão de recriar Ministério das Comunicações é boa para TVs religiosas que queriam 'mais atenção' de Bolsonaro

Telegram

Os padres pops já devem estar com os olhinhos brilhando com a recriação do Ministério das Comunicações.

Como O Antagonista noticiou no último dia 21, religiosos que viraram celebridades aproveitaram uma videoconferência com Jair Bolsonaro para pedir ao presidente que “dê mais atenção” às rádios e TVs católicas: reveja aqui.

O padre Welinton Silva, da TV Pai Eterno, em Goiás, por exemplo, se queixou com Bolsonaro, prometendo visibilidade às “ações do governo”: “Precisamos ter mais atenção, presidente”.

Fábio Faria, agora ministro das Comunicações, não é, digamos, nem “terrivelmente católico”, nem “terrivelmente evangélico”.

O deputado foi criado no catolicismo e tem boas relações com a cúpula da Igreja em seu estado, o Rio Grande do Norte, comandada por dom Jaime Vieira Rocha, alinhadíssimo com os petistas. O pai de Fábio, Robinson Faria, não perdia uma cerimônia especial da Igreja quando governador.

Dois anos atrás, Fábio foi batizado na igreja batista que a mulher, Patrícia Abravanel — filha de Silvio Santos –, frequenta, mas ele costuma dizer que não gosta de “rótulos” e prefere ser visto como “cristão”.

Não vai faltar gente querendo despertar esse lado religioso nos próximos meses.

Arte: O Antagonista

Leia mais: Quem são os atravessadores que ganham com a pandemia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 9 comentários