RECURSO DE RÉUS DO BNDES ESTÁ NO TRF HÁ 3 MESES

Os advogados de Luciano Coutinho e de outros ex-diretores do BNDES recorreram ao TRF-3, em agosto, para pedir o desbloqueio de bens de seus clientes. Até agora, o recurso não foi apreciado.

O escritório Barroso Fontelles, Barcellos, Mendonça & Associados, que defende dez ex-dirigentes do BNDES, alega que a decisão da Justiça de Dourados é “absurda e teratológica” – além da indisponibilidade de bens, a Justiça determinou até o bloqueio de contas-salário e transferência dos recursos para uma conta judicial na CEF.

A Usina São Fernando obteve quase R$ 400 milhões em diferentes empréstimos do BNDES. Mesmo sem conseguir quitar o montante, Bumlai conseguiu outro financiamento, no valor de R$ 101 milhões, numa operação indireta com o BB e o BTG.

Para a defesa dos réus, a operação transcorreu “integralmente de acordo com as políticas operacionais do BNDES”.

“Pode-se concluir que não há nada ilegal ou irregular no fato de a São Fernando ter utilizado os recursos do BNDES recebidos por repasses do Banco do Brasil e do BTG para quitar empréstimos ponte e de curto prazo contraídos para realizar o projeto que vinha sendo analisado pelo BNDES”, alegam os advogados.