Reeleição inconstitucional de Alcolumbre e Maia: o que seria espantoso no STF

Reeleição inconstitucional de Alcolumbre e Maia: o que seria espantoso no STF
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O texto de Mario Sabino A reeleição de Alcolumbre e Maia tem nome: golpe branco repercute no Senado. Há pouco, em sessão virtual, o senador Lasier Martins (Podemos) leu trecho do artigo e afirmou que os pares não podem “rasgar a Constituição” — e cobrou do presidente da Casa que dê uma resposta sobre o assunto.

“Ele anda sumindo de quase todas as sessões”, afirmou Martins.

Esse é um assunto que O Antagonista vem acompanhando desde o fim do ano passado, quando o senador do Amapá começou a se movimentar para tentar a reeleição inconstitucional. Foi este site, aliás, que revelou o documento com a tese que viria a ser usada por Alcolumbre: relembre aqui.

Desde que decidiu que tentaria se agarrar ao cargo, Alcolumbre fez acenos ao Palácio do Planalto e se aproximou de Jair Bolsonaro, em contraponto à relação mais azedada entre seu correligionário Rodrigo Maia e o presidente.

Ao mesmo tempo, passou a prometer a interlocutores no STF, sempre nos bastidores, que em sua gestão não seria pautado nenhum pedido de impeachment de ministro da corte e continuaria a jogar no lixo toda tentativa de criação de CPI da Lava Toga.

Senadores fazem cálculos e dão como certo que o trio Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski apoiaria a loucura da recondução a cargos da Mesa Diretora na mesma legislatura. Espantoso, dizem, seria se ministros como Luís Roberto Barroso e Rosa Weber também apoiassem a ideia, ainda que determinando que cabe ao Congresso decidir sobre o tema.

O julgamento de uma ação do PTB que questiona a possibilidade de reeleição de Alcolumbre e Maia está marcado para começar, no plenário virtual do Supremo, na próxima sexta-feira (4), como noticiamos.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
TOPO