Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Reforma administrativa é para impedir que privilégios valham para o futuro, diz Guedes

Bônus pagos a servidores custam R$ 1,5 bilhão ao ano, segundo o ministro da Economia
Reforma administrativa é para impedir que privilégios valham para o futuro, diz Guedes
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Paulo Guedes disse hoje que a Reforma Administrativa proposta pelo governo Bolsonaro quer impedir que privilégios pagos atualmente valham para o futuro. O ministro da Economia participou nesta manhã de sessão da CCJ da Câmara.

“Queremos que esses privilégios não sejam estendidos para o futuro.”

Para o ministro, “a palavra-chave dessa reforma é qualidade dos serviços públicos, seja no saneamento, na educação”.

Essa qualidade, disse Guedes, está atrelada aos custos do funcionalismo público para o Estado. Ele destacou que, apesar de o governo Bolsonaro ter acabado com o pagamento de bônus anuais e quinquenais, o custo anual é de R$ 1,5 bilhão.

Leia mais: Guedes e seu ideário foram inteiramente soterrados pelos planos de sobrevivência política do presidente da República e da sua própria reeleição
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO