A "regra de ouro" de Meirelles

Henrique Meirelles disse ser contra a suspensão “pura e simples” da chamada “regra de ouro” – que busca evitar que o governo se endivide para pagar despesas correntes.

O ministro da Fazenda defendeu uma proposta diferente da que vem sendo debatida pela base aliada com o governo de Michel Temer.

“Essa é uma discussão importante para a governabilidade do país nos próximos anos. Uma das ideias é fazer a aplicação de um sistema similar ao que foi estabelecido no teto de gastos. No momento em que há violação da regra de ouro, há uma série de regras autoaplicáveis de correção, como o congelamento de aumentos para servidores, proibição de novos subsídios, ou mesmo o congelamento nominal de despesas discricionárias”,  disse Meirelles ao Globo, lembrando que, dessa forma, não há margem para descumprimento e, sim, um ajuste automático que poderia ocorrer mensalmente ou a cada bimestre.

O ministro garantiu ainda que o governo cumprirá a meta fiscal neste ano e também a regra de ouro.

Leia também:

Governo Temer “vai ficando cada vez mais parecido com a administração que caiu”

Comentários

  • Sônia -

    O técnico e competente não é o Meirelles, presidente do Banco Central? O que os políticos tem que se meter a decisões eminentemente técnicas? É por isso que estamos nesse atraso. A democracia é o IMPÉRIO DAS LEIS. Leis não podem ser mudadas ao sabor de (maus) interesses. É isso que esses políticos (que estão tendo tempo para se auto-absolverem) querem fazer. Mudar as leis ao sabor de seus INTERESSES ESPÚRIOS. (TODAS AS LEIS)

  • Chico -

    Já sei! Aumentar impostos!!

  • Super -

    Meirelles é um menina de ouro, se derreter dá o anel...

Ler 20 comentários