Renan desrespeitou as normas…

…e ficou por isso mesmo.

A comissão do impeachment é uma comissão, obviamente, especial, não permanente.

As normas atribuídas a esse tipo de comissão – embasadas no regimento do Senado e na lei que trata dos crimes de responsabilidade – deveriam ter sido respeitadas hoje. Não foi o que ocorreu.

A rigor, para obedecer às normas, Renan tinha de ter feito o seguinte:

1. Ler o processo de impeachment de Dilma e instaurar a comissão especial na mesma sessão.

2. Determinar que os blocos partidários, incluindo o do PT, indicassem os nomes para a comissão ainda hoje.

3. Se um partido se recusasse a indicar os nomes, Renan deveria indicar ele próprio e tocar o barco, como dissemos no post imediatamente anterior.

14 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Os votos “não” representam a projeção no Cunha da corrupção do governo Dilma e Lula! São iguais a ele sem tirar nem por! Propaganda enganosa vai até próxima esquina, com esse enredo de golpe e de deboche à democracia! Acabou a farsa! Não vão politizar o crime!! Cadeia para o Lula e seu bando!

  2. Meus amigos, neste dia do fim do PT, gostaria de agradecer ao Cunha, Temer, Antagonistas, Sérgio Moro, Joaquim Barbosa, Olavo Carvalho, Nando Moura, Reinaldo Azevedo, Augusto Nunes, Kim Kataguiri, Raquel Scheherazade, Joice Hasselman, Carla Zambelli, Marcello Reis, Julio Lins, Comandante Aposentado e todos os comentaristas este espaço patriota!