Renner e Carrefour fazem lobby contra projeto de tabelamento dos juros

Renner e Carrefour fazem lobby contra projeto de tabelamento dos juros
Sessão Deliberativa Remota da 2ª Sessão Legislativa Ordinária da 56ª Legislatura. Ordem do dia. Em sessão virtual, o Senado vota quatro projetos de lei para o enfrentamento do coronavírus. O PL 1.006/2020 prevê a prestação de auxílio financeiro da União às santas casas e hospitais sem fins lucrativos que participam de forma complementar do Sistema Único de Saúde (SUS). O PL 805/2020 suspende por 120 dias a obrigatoriedade da manutenção das metas quantitativas e qualitativas firmadas pelos prestadores de serviço de saúde no âmbito do SUS. O PL 696/2020 dispõe sobre o uso da telemedicina durante a crise causada pelo coronavírus. O PL 702/2020 dispensa o empregado de comprovar motivo de quarentena durante o período da emergência de saúde pública. A sessão é realizada na sala da Secretaria de Tecnologia da Informação do Senado Federal (Prodasen) e conduzida pelo 1° vice-presidente do Senado Federal, senador Antonio Anastasia (PSD-MG). Participam: 1° vice-presidente do Senado Federal, senador Antonio Anastasia (PSD-MG); senador Weverton (PDT-MA). Tela exibesenador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) em acesso remoto. Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

O Antagonista apurou que, além dos presidentes do Banco Central e da Febraban, emissários das lojas Renner e do grupo Carrefour também entraram em ação para tentar barrar o projeto de lei de autoria do senador Alvaro Dias (Podemos) que limita teto de 20% ao ano para juros de cartões de crédito e cheque especial, para dívidas contraídas entre março de 2020 e julho de 2021.

Davi Alcolumbre anda sendo pressionado por senadores, mas tem preferido ouvir os apelos dos banqueiros — a proposta chegou a ser pautada, mas o presidente do Senado vai adiando a votação.

Renner e Carrefour têm interesse na pauta, pois as lojas também oferecem cartão de crédito aos seus clientes. Com o Congresso vazio em razão da pandemia, senadores foram procurados por representantes dessas empresas para videoconferências sobre a proposta.

O relator da matéria, Lasier Martins (Podemos), já fez alterações no texto original, por exemplo, ampliando o teto dos juros para 30% e antecipando para dezembro deste ano — e não mais julho de 2021 — o fim do prazo da vigência das mudanças.

Mas bancos e empresas não se dão por satisfeitos e querem o arquivamento do projeto.

Leia mais: Um amigo aconselhou Bolsonaro a renunciar. O presidente resiste. E tem um plano para ir até o fim
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 26 comentários
TOPO