ACESSE

Renner e Carrefour fazem lobby contra projeto de tabelamento dos juros

Telegram

O Antagonista apurou que, além dos presidentes do Banco Central e da Febraban, emissários das lojas Renner e do grupo Carrefour também entraram em ação para tentar barrar o projeto de lei de autoria do senador Alvaro Dias (Podemos) que limita teto de 20% ao ano para juros de cartões de crédito e cheque especial, para dívidas contraídas entre março de 2020 e julho de 2021.

Davi Alcolumbre anda sendo pressionado por senadores, mas tem preferido ouvir os apelos dos banqueiros — a proposta chegou a ser pautada, mas o presidente do Senado vai adiando a votação.

Renner e Carrefour têm interesse na pauta, pois as lojas também oferecem cartão de crédito aos seus clientes. Com o Congresso vazio em razão da pandemia, senadores foram procurados por representantes dessas empresas para videoconferências sobre a proposta.

O relator da matéria, Lasier Martins (Podemos), já fez alterações no texto original, por exemplo, ampliando o teto dos juros para 30% e antecipando para dezembro deste ano — e não mais julho de 2021 — o fim do prazo da vigência das mudanças.

Mas bancos e empresas não se dão por satisfeitos e querem o arquivamento do projeto.

Leia mais: Um amigo aconselhou Bolsonaro a renunciar. O presidente resiste. E tem um plano para ir até o fim

Comentários

  • Oliveira -

    Tabelamento? É necessário aumentar a concorrência, isso sim!

  • Marcos -

    O sistema financeiro brasileiro é criminoso! Impede o desenvolvimento do país através de juros estorcivos, favorecendo somente os donos do sistema! São assaltantes de terno e gravata!

  • Enilze -

    Deveriam tabelar os juros de forma definitiva e não só na pandemia. Não existem juros tão elevados qto os do Brasil. Nossos juros são extorsivos

Ler 26 comentários