A “retomada do otimismo” após a vitória de Bolsonaro

Desde a eleição de Jair Bolsonaro, empresas vêm retomando planos engavetados de investimentos, fusões, aquisições e lançamento de ações no mercado (IPOs), registra o Estadão.

Eis alguns sinais positivos:

– o empresário Carlos Wizard Martins (hoje dono da rede Sforza, que inclui Mundo Verde, KFC e Pizza Hut) disse que pretende desembolsar R$ 1,6 bilhão nos próximos anos;

– o Carlyle adquiriu 22% da rede Madero com um aporte de R$ 700 milhões, após 24 meses de “jejum” do fundo americano no país.

Além disso, grandes bancos brasileiros melhoraram suas perspectivas para a economia:

– o Bradesco agora prevê que o PIB brasileiro vá crescer 2,8% no ano que vem (antes, projetava 2,5%);

– o Itaú Unibanco elevou sua perspectiva para 2,5% (ante 2%, anteriormente);

– no banco Brasil Plural, a estimativa de expansão do PIB para 2019 foi revisada para 3,5%. “Para que essa meta seja atingida, porém, ressalva o presidente da instituição, Rodolfo Riechert, é necessário que a reforma da Previdência seja aprovada.”

Segundo o jornal, “a retomada do otimismo também pode ser verificada nos índices de confiança do mercado”.

“Medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o indicador de expectativa do consumidor registrou em outubro o maior patamar desde 2014.”

O amigo de José Dirceu na corte de Bolsonaro. Saiba mais AQUI

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 15 comentários
    1. ele disse que só aceitaria se outras medidas como redução do numero de congressistas, etc tb vinga-se ou seja, nao vai rolar

    1. Sem contar na guerra civíl em andamento ou em vias de acontecer, no cenário apresentado, com a consequente intervenção militar para o GLO.

  1. Não duvido que a economia vai bombar, que o governo conseguirá se reeleger, e que uma varredura de ministérios sera feita, menos pelos gastos q pelo intuito de centralizar o poder. Ai xequemate