Reunião em Brasília selou apoio de Cerveró ao PMDB

Fernando Baiano contou à força-tarefa da Lava Jato que, em 2006, Nestor Cerveró foi chamado em Brasília por Delcídio Amaral e Silas Rondeau. Eles cobraram o seu “apoio” a campanhas do PT e do PMDB.

Segundo o delator, “lindinho” citou nominalmente o próprio Delcídio, além de Renan Calheiros e Jader Barbalho. Em troca, eles dariam sustentação ao diretor internacional da Petrobras.