Rio e São Paulo cobram R$ 22 milhões em impostos de empresário cotado para o MEC

Cotado para substituir Abraham Weintraub no Ministério da Educação, o empresário Renato Feder é acusado de não pagar R$ 22 milhões em impostos em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ele foi denunciado por apropriação indébita tributária nos dois estados por não ter recolhido ICMS devido pela empresa de informática Multilaser, da qual é sócio.

Feder hoje é secretário de Educação do Paraná. Além dele, seu sócio na Multilaser, Alexandre Ostrowiecki, também é acusado de sonegação.

As informações são do jornal O Globo e foram confirmadas por O Antagonista.

O caso de São Paulo é o maior. De acordo com o Ministério Público, a Multilaser cobrou embutiu o valor do ICMS nas vendas de produtos aos clientes, mas não pagou os impostos – portanto, embolsou o dinheiro que deveria ter ido para a Fazenda de São Paulo.

A dívida seria de R$ 19,6 milhões, segundo os cálculos da Promotoria paulista.

No Rio, a acusação é parecida, mas envolve R$ 3,2 milhões.

Em ambos os processos, a empresa disse não ter cometido sonegação. O argumento é o de que a companhia tenta compensar os impostos devidos com precatórios que tem a receber.

Os casos foram suspensos pela Justiça enquanto a Multilaser negocia com os governos estaduais. Enquanto isso, os processos continuam em tramitação.

Ao Globo, Feder disse ser sócio minoritário da empresa e que ela tem R$ 95 milhões em precatórios para receber, entre Rio e São Paulo. Por isso tenta abater a dívida fiscal.

Leia mais: Um amigo aconselhou Bolsonaro a renunciar. O presidente resiste. E tem um plano para ir até o fim
Mais lidas
  1. Governo estima que mortes por Covid cheguem a 2 mil por dia

  2. Exclusivo: assessor de Mourão procura Congresso: "É bom estarmos preparados"

  3. AGÊNCIA DA ALEMANHA RECOMENDA QUE VACINA DA ASTRAZENECA NÃO SEJA USADA EM MAIORES DE 65 ANOS

  4. "Mega epidemia daqui a 60 dias"

  5. Santos Cruz, sobre Bolsonaro: "Falta de respeito com a população e o país"

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 14 comentários
TOPO