Roberto Campos Neto e o benefício da dúvida

Telegram

Integrantes da Lava Jato avaliam que a transformação do Coaf na Unidade de Inteligência Financeira, subordinada ao Banco Central, não significa propriamente o fim do combate à corrupção – mas é preciso ficar de olho nos próximos movimentos.

A criação de uma UIF reforça a característica de órgão de assessoramento. Ou seja, os relatórios produzidos podem gerar investigações ou acabar num arquivo morto. Tudo depende de quem estiver no comando.

A UIF será chefiada por Ricardo Liáo, que responde a Roberto Campos Neto, que responde a Jair Bolsonaro. Dizer que o órgão no BC não terá influência política é conversa para boi dormir, portanto.

TOFFOLI: A DECISÃO... E A COINCIDÊNCIA. Saiba mais

Tudo depende do tipo de influência. O mesmo Coaf que ajudou a Lava Jato a descortinar o ‘Petrolão’ também foi o Coaf que permitiu a existência do esquema de corrupção na Petrobras.

Onde estava o Coaf quando doleiros, empresários e operadores movimentavam bilhões em propina no sistema financeiro. Onde estava o Banco Central?

Há dois anos, o Congresso aprovou uma ‘Lei de Leniência’ exclusiva para agentes do mercado. O BC resistiu à participação do MPF nas negociações dos acordos e até hoje a sociedade desconhece quais instituições financeiras firmaram colaboração e quais os crimes cometidos.

O nome disso é falta de transparência. Assim, esconder o velho Coaf dentro do BC com outro nome pode ser bem oportuno para quem estiver mal-intencionado.

Toda a ofensiva contra o “Coaf com Moro” surge justamente quando a Lava Jato abre uma importante frente de investigação que pode atingir grandes bancos.

Roberto Campos Neto, considerado um executivo de reputação ilibada, trabalhava até pouco tempo num desses bancões: o Santander, citado na delação de Antonio Palocci ao lado de outras importantes instituições financeiras.

Dito isso, o presidente do BC poderá mostrar nos próximos meses suas reais intenções (e dos seus chefes) e se a autonomia técnica dessa UIF (o novo Coaf) é para valer ou apenas a fachada de um acordão para estancar a sangria em nome da estabilidade do velho sistema.

Comentários

  • André -

    O próprio Ministro Sérgio Moro já disse que o COAF continuará funcionando normalmente, apesar da mudança. Mas os 1d1otas aqui preferem acreditar nos Antas do Antagonista.

  • Tiago -

    O BC, segundo delação do Palocci, vendia informações privilegiadas pros bancos lucrarem. Agora, inclusive, terá um novo diretor, o qual, pasmem, era empregado dos irmãos Batista da JBS.

  • Andréa -

    Influência política do governo? Todos os orgãos foram coaptados pela esquerda! Era a esquerda que queria acabar com a Lava Jato! Vocês estão querendo confundir! Quem tirou o COAF do Moro foi Maia

Ler 64 comentários