Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Rodrigo da Silva: É estúpido ser de esquerda e defender a China

Na Crusoé, fundador do Spotniks mostra como 'nenhum país tão influente no mundo rejeita com tamanha veemência os valores progressistas quanto a China'
Rodrigo da Silva: É estúpido ser de esquerda e defender a China
Arquivo pessoal

Em sua coluna quinzenal para a Crusoé, Rodrigo da Silva, documentarista e fundador do canal Spotniks, mostra como “nenhum país tão influente no mundo rejeita com tamanha veemência os valores progressistas quanto a China”:

“Em primeiro lugar, nós estamos falando de uma ditadura. O Partido Comunista Chinês é o centro de um organismo que controla todos os departamentos governamentais, as forças militares, os tribunais de Justiça e as reuniões parlamentares. Os membros desse partido não se identificam como defensores de uma sociedade aberta, plural e tolerante. Na verdade, atuam explicitamente contra esses valores.

Dentro dessa organização, grupos sociais como mulheres e LGBTs não possuem oportunidade de ganhar representação política relevante. Sete em cada dez dos chineses aprovados para a entrada no partido são homens. Apenas uma mulher foi nomeada para o Politburo no último Congresso do Partido, em 2017 — contra 24 homens. Nenhuma mulher jamais se sentou no Comitê Permanente do Politburo, a posição mais alta da organização.

Fora do partido, feministas podem ser presas por organizar protestos e as discussões sobre gênero são frequentemente censuradas nas redes sociais. A grosseria contra as mulheres é política de estado.”

LEIA AQUI a íntegra da coluna; assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO