Rosa Weber manda PGR avaliar se Bolsonaro cometeu crime de genocídio

O presidente á alvo de uma ação que se baseia apenas em trechos bíblicos e não traz dados concretos sobre a pandemia
Rosa Weber manda PGR avaliar se Bolsonaro cometeu crime de genocídio
Foto: Anderson Riedel/PR

A ministra do STF Rosa Weber determinou que a PGR avalise se o presidente Jair Bolsonaro cometeu os crimes de genocídio e charlatanismo.

Bolsonaro é alvo de uma petição apresentada pelo advogado Jefferson de Jesus Rocha, que baseou sua manifestação em passagens da Bíblia.

Ele disse acreditar que estávamos em um verdadeiro Apocalipse e que, “desde o mês de março de 2019 tento alertar os moradores do meu município”, Caculé, a cerca de 650 quilômetros da capital baiana, Salvador.

O advogado apresentou apenas argumentos religiosos e não mostrou nenhum dado da pandemia. A determinação de Rosa Weber para que a PGR avalie a petição é algo protocolar.

“Além de alertar os pastores da minha região, joguei suco de uva na frente das igrejas, vesti roupa de pano de saco, bem como preguei panfletos nas portas das igrejas ainda em 2019, escreveu o advogado na petição.

O advogado associa a ida de Bolsonaro ao Templo de Salomão, da Universal, à pandemia.

“No ano seguinte, em 2020, surge na China um vírus mortal, que ceifou e está ceifando a vida de milhares de pessoas no Brasil e fora dele, sendo tratado o assunto com puro descaso pelo Poder Executivo Federal.”

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
TOPO