Rota do Atlântico: Diretor da Asperbras no Congo é preso

A Polícia Judiciária portuguesa prendeu José Veiga, diretor da Asperbras no Congo. Ele é acusado de corrupção internacional, fraude fiscal, branqueamento de capitais e tráfico de influência. O que o Brasil tem a ver com isso?

A Asperbras é nossa velha conhecida. Ela pertence a José Roberto Colnaghi, investigado na CPI dos Bingos por seus negócios em Angola, financiados pelo BNDES. Colnaghi é ligado a Antonio Palocci.

Em novembro, a CPI do BNDES descobriu que a Pepper recebeu R$ 2 milhões por um contrato com a Asperbras no Congo, justamente a unidade dirigida por José Veiga.

Veiga foi detido com Paulo Santa Lopes, irmão do ex-premiê português Pedro Lopes. Foram apreendidos veículos de luxo e R$ 8 milhões em espécie numa das casas do diretor da Asperbras.

O Diário de Notícias informa que José Veiga é parceiro de negócios do presidente congolês, Denis Sassou Nguesso, o “feiticeiro”.

Faça o primeiro comentário