Ruy Goiaba: O bingo dos clichês da pandemia

Ruy Goiaba: O bingo dos clichês da pandemia

Em sua coluna na Crusoé desta semana, Ruy Goiaba faz uma breve lista dos piores lugares-comuns da quarentena, como o “novo normal”, as reportagens sobre “o amor nos tempos da pandemia”, a proliferação de lives e podcasts e a superprodução de pães caseiros.

“Não se trata apenas de a pandemia ter estimulado as pessoas a fazerem sua própria comida, com ou sem a ajuda dos livros da Rita Lobo, o que é belo e moral. O que aconteceu foi a criação de uma nova categoria: depois dos ‘pais (e mães) de pet’, os pais corujas de pão caseiro. E é claro que os padeiros da pandemia TÊM que exibir suas fornadas nas redes sociais: se você fez pão em casa e comeu sem publicar a foto no Instagram, ele evidentemente nunca existiu.

Lamento dizer a você, pai de pão: assim como seus filhos animais e humanos, seu pão caseiro é feio para caramba. E dou graças a Deus de não ter com você nenhuma relação de parentesco que me obrigue a experimentar.”

LEIA AQUI a íntegra da coluna; aproveite para assinar a Crusoé e apoiar o jornalismo independente.

Leia mais: CENSURA À IMPRENSA: O EXEMPLO QUE VEM DO SUPREMO
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 8 comentários
TOPO