Saiu pela culatra

Quando votou a proibição de doações de empresas a campanhas, Gilmar Mendes acusou o PT de impedir o financiamento privado dos adversários enquanto se financiava com desvios da Petrobras. O partido, no entanto, não contava com a força da Lava Jato.

Leiam o que a Folha escreveu sobre o endividamento petista:

“A situação ficou ainda mais grave quando a direção nacional do partido decidiu, em abril deste ano, encampar um discurso moralizador e proibir o recebimento de doações empresariais antes mesmo de o Congresso aprovar legislação sobre o tema.”

Faça o primeiro comentário