Santa Catarina: três deputados mudaram o voto entre afastamento e absolvição

Santa Catarina: três deputados mudaram o voto entre afastamento e absolvição
Foto: Bruno Collaço/Agência AL (Alesc)

Afastado do cargo por 6 votos a 4, Carlos Moisés foi absolvido hoje por 6 votos a 3. A mudança no placar se deve a três deputados estaduais.

O tribunal misto do impeachment em Santa Catarina é formado por cinco deputados estaduais e cinco desembargadores.

Na madrugada de 24 de outubro, o tribunal acatou a denúncia contra o governador no processo do reajuste salarial dos procuradores do Estado. O placar foi 6×4. Votaram a favor do recebimento da denúncia os cinco deputados estaduais e um desembargador, Luiz Felipe Schuch.

Hoje, respondendo à pergunta “Carlos Moisés cometeu crime no reajuste salarial dos procuradores?”, os desembargadores votaram da mesma maneira que no mês passado. Quatro votaram “não” e Schuch novamente votou “sim”.

Foram três deputados estaduais que mudaram o voto. Maurício Eskudlark (PL) e Laércio Schuster (PSB), que votaram “sim” ao recebimento da denúncia, votaram “não” sobre o cometimento do crime por Carlos Moisés. Já Luiz Fernando Vampiro (MDB), que também votou “sim” à denúncia, desta vez se absteve.

O relator do impeachment, Kennedy Nunes (PSD), e o deputado Sargento Lima (PSL) repetiram o “sim”.

Carlos Moisés, que voltará ao cargo de governador, também responde a um segundo processo de impeachment,  no caso dos respiradores da Veigamed e tentativa da contratação de um hospital de campanha em Itajaí. Este processo aguarda a votação do relatório.

Leia mais: A revista que fiscaliza TODOS os poderes e conta com os melhores colunistas do Brasil.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 16 comentários
TOPO