Santos Cruz vê 'ofensa às Forças Armadas' em saída de comandantes

Santos Cruz vê ofensa às Forças Armadas em saída de comandantes
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, que falou nesta terça (30) ao Papo Antagonista, disse mais cedo à CNN que viu como uma “ofensa às Forças Armadas” a saída dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Hoje, em decisão inédita, Edson Leal Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Bermudez (Aeronáutica) decidiram deixar seus cargos, em protesto contra a tentativa de uso político dos militares por Jair Bolsonaro.

Como de costume, Santos Cruz não mediu palavras: “Esse tipo de saída sem nenhuma informação é uma falta de consideração pessoal, institucional, ao Exército, à Marinha, à Aeronáutica. Falta de consideração funcional, desrespeito e ofensa às Forças Armadas: é assim que vejo essa situação”.

O general descreveu os comandantes demissionários como “três pessoas honradas” e afirmou que “não é normal” eles se afastarem das funções como ocorreu. “Estamos deixando de ver comportamentos normais.”

Santos Cruz afirmou ainda não acreditar que a troca no comando das Forças faça com que elas tenham um alinhamento maior com o governo Bolsonaro.

Mas lembrou o episódio da ditadura militar no qual, em 1977, Ernesto Geisel demitiu o ministro do Exército, Sylvio Frota. “São coisas de 40 anos. Por isso é uma situação que precisa ser justificada. Não pode ser só pela sua mania, pela sua pirraça, pela sua birra, isso não pode existir nesse nível.”

“Pirraça” e “birra” são excelentes termos para descrever o modo Bolsonaro de —por assim dizer— governar.

Leia mais: Pois é, nada mudou da esquerda para a direita.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO