Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Crusoé: Saraiva diz que Bolsonaro "não quer ver" desmatamento

O ex-superintendente da Polícia Federal no Amazonas avalia que foi colocado "na geladeira" após apresentar a notícia-crime contra Ricardo Salles
Crusoé: Saraiva diz que Bolsonaro “não quer ver” desmatamento
Reprodução/GloboNews

O delegado da Polícia Federal Alexandre Saraiva, responsável por apresentar uma notícia-crime contra Ricardo Salles por ligação com extração ilegal de madeira, comentou, em entrevista à Crusoé, o discurso de Jair Bolsonaro na ONU e disse que o presidente “não quer ver” a realidade sobre o desmatamento da Amazônia.

Segundo Saraiva, imagens de satélite comprovam a destruição.

Basta olhar uma imagem de satélite que ele vai ver que não é bem assim. O que a gente vê é uma destruição grande, nítida, e não precisa ser especialista para ver que a destruição está acontecendo de forma muito acelerada. O governo brasileiro tem imagens de satélite diárias e dá para ver o que foi desmatado hoje, ontem, anteontem. Antes de ter acesso a essas imagens, eu não tinha ideia da competência dos criminosos. Só não enxerga isso quem não quer ver.”

O delegado foi afastado da Superintendência da PF no Amazonas depois da denúncia contra Salles. Ele foi transferido para Volta Redonda, onde cuida de pequenos delitos.

Saraiva avalia que foi colocado “na geladeira”.

Voltei à estaca zero da carreira. Faço hoje o que fazia há 18 anos, quando entrei na polícia. Não foi só a minha exoneração, mas também a do delegado (Franco Perazzoni) que estava à frente da Operação Akuanduba e a exoneração verbal do delegado Rubens (Lopes da Silva), que era chefe da divisão do Meio Ambiente. Nós três trabalhamos nas operações que atingiram o Ministério do Meio Ambiente e, coincidentemente, fomos afastados.”

Leia aqui a entrevista completa.

Mais notícias
TOPO