Schahin e o rolo paraguaio

O Antagonista mostrou ontem à noite que a CGU paraguaia investiga suspeita de superfaturamento na construção de uma linha de transmissão com dinheiro do Focem, um fundo de desenvolvimento da infraestrutura do Mercosul. A maior parte do dinheiro do Focem é brasileira.

A obra foi feita pelo consórcio CIE-Elecnor. A CIE é paraguaia e a Elecnor é uma empresa de origem espanhola sediada no Brasil. O Antagonista descobriu que a Elecnor se associou à Schahin Engenharia e montou um consórcio em setembro do ano passado.

Constam do contrato social Milton Schahin e Rogério de Campos Vieira. A empresa foi arrestada no bojo do processo de recuperação judicial do grupo Schahin.

E não podemos esquecer que Schahin é Bumlai e Bumlai é Lula.

Faça o primeiro comentário