Schahin pagou propina com offshores reveladas pelo Antagonista

Eduardo Musa, que delatou a propina de R$ 60 milhões para quitar dívida da campanha de Lula, também recebeu sua parte no butim. Na condição de gerente internacional da Petrobras, Musa atuou fortemente para viabilizar o contrato do navio-sonda Vitória 10000.

Em depoimento à força-tarefa da Lava Jato, ele contou que Fernando Schahin, filho de Salim, era quem negociava e operacionalizava a propina. Musa pediu US$ 1 milhão, mas recebeu US$ 720 mil.

Os depósitos foram feitos em contas de offshores na Suíça reveladas na sexta-feira passada pelo Antagonista: Casablanca, Deep Black Drilling, Black Gold Drilling, além de Dlife Drilling.

Veja o trecho da delação em que Musa confirma o pagamento por meio de offshores.

“QUE o valor acertado inicialmente com FERNANDO SCHAHIN foi de U$ 1 milhão; QUE até a sonda ficar pronta não houve nenhum pagamento de propina; QUE em 2009 o declarante se aposentou e saiu da PETROBRAS e teve contato com FERNANDO SCHAHIN em 2010; QUE nesta oportunidade FERNANDO SCHAHIN falou que iria começar os pagamentos da vantagem indevida acordada mediante a utilização de suas offshores no exterior fazendo depósitos mensais de U$ 48.000,00; QUE os depósitos começaram a ser feitos durante o início de 2011 se estendendo até 2012 sem regularidade; QUE ao final o declarante recebeu apenas U$ 720.000,00 do valor inicialmente acordado; QUE o declarante questionou FERNANDO SCHAHIN a respeito dos demais pagamentos, sendo que este informou que não iria honrar com o compromisso de forma integral devido a dificuldades financeiras do Grupo SCHAHIN;(…) QUE a empresa que mais depositou para o declarante foi a offshore CASABLANCA; QUE as offshores DEEP BLACK DRILLING, BLACK GOLD DRILLING; DLIFE DRILLING também efetuaram pagamentos de vantagem indevida; QUE para receber estes valores o depoente abriu a conta no Banco JULIUS BÄR em nome da offshore DEBASE;”

Faça o primeiro comentário