ACESSE

Se Alckmin não for 'mais enfático', evangélicos vão de Bolsonaro

Telegram

Geraldo Alckmin, noticia a Folha, tem sido pressionado por lideranças evangélicas a adotar um discurso mais ideológico e cristão na campanha presidencial.

Líderes de igrejas dizem que o eleitor evangélico pode levar o tucano ao segundo turno caso ele passe a fazer manifestações enfáticas em relação a temas como aborto, drogas, casamento gay e homofobia.

“Se não for dessa forma, dizem, os evangélicos naturalmente vão acabar desaguando seus votos no deputado Jair Bolsonaro”, acrescenta o texto.

Comentários

  • Gabriel -

    Pedindo pra um filho da puta mentir. Imagine só que religiosos pediriam a não religiosos mentiras para chegar a presidência.

  • Ricardo -

    A mídia tradicional - e pasmem! nem o dono do Facebook - ainda não entendeu que agora só tem a opção de informar. A opção "manipular" foi sepultada com a Internet.

  • Márcia -

    O discurso de ódio não combina com Geraldo Alckmin, ele é um homem de bem e tenho certeza que o povo vai perceber isso em breve.

Ler 50 comentários