ACESSE

"Se eu fico, jogo fora minha consciência", diz Moro, sobre sua saída do governo Bolsonaro

Telegram

Em entrevista à Rádio Metrópole, Sergio Moro voltou a dizer que não poderia concordar com a interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

“Eu não posso concordar. Sempre defendi que para ter combate à corrupção, é importante ter autonomia nos órgãos de controle. Não posso concordar que haja uma mudança na Polícia Federal por motivos que não sejam republicanos.”

O ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública continuou:

“Se não pode dizer em voz alta porque que está trocando o diretor da PF ou superintendente da PF do Rio, então você não deve fazer essa troca. Eu saí por essa falta de apoio, mas teve conquistas importantes.”

Trechos da entrevista foram publicadas por Moro em seu Twitter.

Ele também afirmou que sua saída do governo Bolsonaro atraiu “ataques das mais variadas ordens”, mas o ex-ministro avaliou que “não poderia ficar quieto”.

“É um peso para mim, a gente acaba ficando sujeito a ataques das mais variadas ordens. É um peso para minha família,mas eu entendi também que eu devia isso ao país. (…) Não quis prejudicar o governo, mas não poderia ficar quieto naquelas circunstâncias.”

E mais:

“Se eu fico, eu jogo tudo fora do que eu fiz em minha carreira e jogo fora minha consciência.”

Leia mais: Paralisia toma conta de áreas do governo responsáveis por ações vitais para o país. Clique para ler mais

Comentários

  • EGIDIO -

    Ok. Está certo. Agora, vá cuidar da vida. Se não há fatos, chega de fofocas.

  • Maria -

    Moro é íntegro e honesto, realmente estava deslocado no governo troglodita do estelionatário mentiroso Bolsonaro. Fez bem de ter saído e vai continuar p/ sempre como sinônimo de combate à corrupção.

  • Elisabete -

    "NÃO SAÍ DA JUSTIÇA PARA FAZER POLÍTICA, ENTREI NA POLÍTICA PARA FAZER JUSTIÇA "SERGIO FERNANDO MORO

Ler 177 comentários