“Se for preciso excluir 90, 900 ou 9 mil, pouco importa”

O coronel Wolney Dias, comandante da PM do Rio, sobre a Operação Calabar, que prendeu dezenas dePMs corruptos:

“Nossa corregedoria atuou como sempre atua e vai continuar atuando. Nossa instituição corta na própria carne. Nós não precisamos que nos ensinem a trabalhar. Nós sabemos fazer a nossa correição. Nós não queremos os maus PMs nas nossas fileiras. Se for preciso excluir 90, 900 ou 9 mil, pouco importa. Não queremos traidores na nossa instituição.”

Com a palavra, os políticos.