ACESSE

“Se não andou na linha, tem que tirar”

Telegram

Para a senadora Soraya Thronicke, do PSL, o presidente Jair Bolsonaro deveria cobrar a “fatura” dos partidos do Centrão que têm cargo no governo.

Ela disse ao Estadão:

“Eu não sei como se divide centro e Centrão, para mim é um bolo só. O DEM ganhou a maior fatia em ministérios, ganhou as duas Casas do Congresso e não entregou a contento. Alguns parlamentares são extremamente fiéis e outros derrubaram medidas provisórias e trabalharam contra. Votam errado, trabalham contra, tentam derrubar tudo na boca pequena e o presidente dá espaço. Para mim, se o presidente fizer isto agora com o Centrão, o cara ter ministério e não votar lá dentro, aí vai para o brejo. É uma via de mão dupla. Isso não é corrupção, é governabilidade. Se não andou na linha, tem que tirar.”

Leia mais: Um amigo aconselhou Bolsonaro a renunciar. O presidente resiste. E tem um plano para ir até o fim

Comentários

  • CELSO -

    Governabilidade? Isso para mim é corrupção tal como os demais governos faziam! É o toma lá dá cá!

  • Alberto -

    Reforma Política,logo!O país nesse sistema presidencialista, se tornou um instrumento a serviço do poder. A governabilidade é o coringa do jogo.Os políticos detentores dessa carta, negociam-na.

  • Cirval -

    Como andar na linha se nem linha existe? É tudo "seja o que Deus quiser"! Não há coordenação nem administração de nada pelo presidente aloprado. Querer controlar o Centrão é piada de mau gosto.

Ler 22 comentários