Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

"Se não tiver voto impresso, é sinal de que não vai ter eleição", diz Bolsonaro

“Se não tiver voto impresso, é sinal de que não vai ter eleição”, diz Bolsonaro
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Na live para seguidores, visivelmente alterado, Jair Bolsonaro criticou Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, por ter dito que, se for aprovado o voto impresso, será criado o “caos, por causa da judicialização dos resultados das eleições.

Eu acho que ele é o dono do mundo, o Barroso, só pode ser. O homem da verdade absoluta, não pode ser contestado. Eu estou preocupado se Jesus Cristo baixar aqui na Terra, ele vai ser boy do ministro Barroso”, ironizou o presidente.

Depois, disse que, se o Congresso aprovar o voto impresso por emenda constitucional, “vai ter voto impresso em 2022 e ponto final”. Nesta semana, o presidente da Câmara, Arthur Lira, criou a comissão especial que vai analisar a PEC.

“A única republiqueta do mundo é a nossa, que aceita essa porcaria do voto eletrônico. E digo mais: se o Parlamento brasileiro, por maioria qualificada, de 3/5 na Câmara e no Senado, aprovar e promulgar, vai ter voto impresso em 2022 e ponto final. Porque se não tiver voto impresso, é sinal de que não vai ter eleição. Acho que o recado está dado“.

“Quem acha que não tem fraude, por que está com medo do voto impresso? Não tem problema nenhum. Quem quer uma democracia e quer que o voto valha de verdade, tem que ser favorável a qualquer nova medida para tornar o voto auditável”, disse.

“Quem for contra, é sinal de que, ou acredita em Papai Noel, ou está do lado do Barroso, ou ainda sabe que pode ter fraude e vai se beneficiar. Alguns acham que pode ter fraude apenas para presidente. Se engana. Pode ter para senador, pode para deputado federal e estadual. E se vier um ‘fraudão’ aí, você vai reclamar para quem? Para o papa depois?”

Como mostramos mais cedo, Carlos Bolsonaro tem aconselhado o pai a endurecer o discurso.

Ontem, segundo o Globo, em encontro com o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, secretários de Estado e deputados que o apoiam, Bolsonaro disse que “tem provas” de que Aécio Neves venceu a eleição para presidente, em 2014, e de que ele venceu em 2018 no primeiro turno. Insinuou que o Judiciário “fará de tudo” para recolar Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a presidente, o que lhe dá “certeza” de que a eleição de 2022 será fraudada.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO