Segovia no Coliseu

Michel Temer nomeou Fernando Segovia como adido da Polícia Federal em Roma.

Mas o exílio de luxo é irregular, pois norma da própria PF impede a nomeação de quem tenha exercido a função de adido ou “adjunto nos três anos anteriores”.

Segovia estava na África do Sul antes de virar diretor-geral.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 27 comentários
    1. deixa o cara coçar o saco em roma às nossas custas….afinal ele prestou concurso né? tem todo o direito de mamar eternamente no erário, depois deixar pensão pra mulher, pros filhos ad eternum…………..

  1. Quer dizer então que uma apadrinhado se jose sarney vivia no bem bom as custas do povo brasileiro na africa do sul e agora vai continuar mamando em roma???

  2. Chama muito a atenção a quantidade de trapalhadas desse governo – será que não existe uma única criatura lúcida que possa assessorar os dirigentes e evitar gafes como essa? Não vou me espantar se, amanhã ou hoje mesmo, essa nomeação seja revogada, por irregularidade.

  3. O bandido pagando pelo seu apadrinhado oelo toma lá, dá cá. Parabéns a PF quase 100% ética e patriota, infelizmente não é regra que em toda árvore sadia 100% de frutos são sadios.

  4. Tudo irregular é possivel, senão regra, em BANANIA. Mas só para a casta superior, óbvio.
    A unica coisa regular é pagamento de impostos dos escravos da cleptocracia que trabalham honestamente