Segura essa, JEC

José Eduardo Cardozo, na defesa final por escrito de Dilma Rousseff, gastou 670 páginas.

João Berchmans, da equipe da acusação, se surpreendeu com o tamanho do documento, uma vez que se trata de uma fase na qual os advogados tendem a ser sucintos.

“Quando se escreve muito é porque não se tem um bom direito. Quando o direito é claro e consistente, desnecessário falar muito. As palavras às vezes fazem muito barulho e de barulho a defesa da Dilma entende e sabe fazer. Penso que os fatos comprovados falam tão alto e gritam mesmo contra a irresponsabilidade praticada pela presidente afastada que seria inoportuno falar mais a esse respeito”, disse Berchmans ao Antagonista.