Seguro-defeso 'não entra no Renda Brasil', diz secretário da Pesca

O secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior, afirmou há pouco que o governo não vai extinguir o seguro-defeso, benefício pago a pescadores, para abastecer o Renda Brasil.

A informação foi confirmada durante live de Jair Bolsonaro.

“O seguro-defeso vai ficar nos mesmos moldes de anteriormente, ou seja, não entra no Renda Brasil. O que vamos fazer é o recadastro, a filtragem, para trazer seriedade ao programa. Nenhum pescador artesanal do Brasil será afetado.”

O fim do seguro-defeso fazia parte do desenho de Paulo Guedes para conseguir recursos para o Renda Brasil. Bolsonaro, no entanto, vetou a proposta, que incluía também a extinção do abono salarial.

Na live, Bolsonaro disse que “muitas ideias” sobre o Renda Brasil são apresentadas. “Quem decide, na ponta da linha, é o Paulo Guedes e eu”, disse.

O presidente também questionou Seif Júnior se há desvios no seguro-defeso. Ao todo, há 1,2 milhão de cadastrados para receber o benefício de R$ 1 mil.

“Segundo a CGU, 69% são pessoas que não vivem da pesca”, respondeu o secretário.

Leia mais: Bolsopetismo pró-impunidade: a aliança para enterrar a proposta de prisão após condenação em segunda instância
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 4 comentários
TOPO