Sem a intermediação das empreiteiras, partidos querem nos roubar diretamente

Sem o financiamento público indireto de campanhas proporcionado pelo propinoduto de contratadas do governo, como as empreiteiras, os partidos resolveram fazer uma “reforma política” para criar o financiamento público direto de campanhas.

No ano que vem, deverá custar aos pagadores de impostos 3,5 bilhões de reais — o equivalente ao que tungaram oficialmente da Petrobras em 2015. Em 2020, a previsão é que nos custe 2,2 bilhões de reais.

O relator dessa barbaridade na Câmara é o petista Vicente Cândido; no Senado, quem comanda o espetáculo é Romero Jucá. PT e PMDB, portanto, continuam a nos roubar alegremente, com o apoio dos demais partidos.

Quem é contra é “jacobino”.

Faça o primeiro comentário