Sem pai nem mãe

Josias de Souza, na segunda-feira, avisou que os deputados tentariam escapar da cadeia aprovando uma anistia para os membros da ORCRIM.

A pilantragem, felizmente, foi abortada ontem à noite.

O colunista do UOL comentou:

“Conforme previsto, surgiu na Câmara uma trama para colocar nos trilhos um projeto sobre caixa dois. O pretexto declarado é criminalizar a prática. O objetivo inconfessado é anistiar a bandalheira pretérita, concedendo perdão preventivo para a turma que conspira para ‘estancar a sangria’ da Lava Jato. O interesse real não é restabelecer a moralidade, mas assegurar que a imoralidade permaneça impune”.

Depois da sessão, Josias de Souza entrevistou o deputado Beto Mansur, que pilotou a manobra:

O projeto de 2007 foi pautado por requerimento de quem?

Ninguém quer ser pai dessa criança. Não sei.

Há um requerimento?

Esse projeto foi colocado na pauta. Não sou eu que faço a pauta.

O projeto vai voltar em outra sessão?

Desconheço o texto. Mas acho que houve uma reação do plenário a esse projeto. Tive que cancelar [a votação] porque não tinha acordo para poder continuar votando. Mas não conheço o texto. Quem conhece são os líderes lá.

Faça o primeiro comentário