Sem prorrogação nem ilusões

No pronunciamento de hoje, Michel Temer disse que “2017 será efetivamente um ano novo”, e não uma “prorrogação de 2016”.

Mas deixou claro que o desemprego não deve ceder pela simples chegada do novo ano: “Não quero me iludir nem iludir ninguém, mas o desemprego será um tema a ser elucidado a partir do segundo semestre do ano que vem, quando ele deve começar a cair.”

Faça o primeiro comentário