Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Bolsonaro volta a atacar Barroso: “Ele virou semideus? Intocável”?

Em entrevista à rádio ABC de Novo Hamburgo, o presidente admitiu que não tem como provar irregularidades nas eleições
Bolsonaro volta a atacar Barroso: “Ele virou semideus? Intocável”?
Reprodução/Facebook/Jair Bolsonaro

Em entrevista à rádio ABC de Novo Hamburgo (RS), Jair Bolsonaro voltou a atacar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso.  Além disso, o presidente da República admitiu, mais uma vez, que não tem provas de fraude nas últimas eleições.

Bolsonaro disse que “não poderia admitir que o mesmo ministro que ajudou a tornar Lula elegível, participe da contagem de votos.”

“Sem eleições limpas e democráticas, não tem eleições de verdade. Tem uma farsa. Tem algo que pode se chamar de tudo, não de eleições. O Barroso deveria estar do lado do povo brasileiro. Quem ele pensa que é para dizer que a vontade dele vale para o Brasil? Ele é o dono da verdade? Quem o senhor Barroso pensa que é?”, declarou Bolsonaro.

“Ele tem que baixar a crista dele um pouquinho e se adequar à realidade”, prosseguiu o presidente. Bolsonaro também voltou a acusar Barroso de ter interferido nos trabalhos da comissão especial da PEC do voto impresso.

“Ninguém tá falando que não quer eleição. Mas queremos eleições limpas. O que não podemos admitir que o ministro Barroso participe da soltura do Lula; depois, participe também de uma forma de torná-lo elegível e ele mesmo é que vai contar, secretamente, os votos em uma sala no TSE”, disse Bolsonaro.

“Todo processo administrativo deve ser público e a contagem dos votos ser faz necessária. E nós estamos oferecendo ao Brasil a possibilidade de que cada um eleitor tenha a certeza de que o voto a quem ele der, será contado”, declarou o presidente da República.

Apesar disso, Bolsonaro não apresentou provas de qualquer tipo de fraude nas últimas eleições. E, como fez na live de quinta passada, apenas citou vídeos de correntes de WhatsApp como “indícios” das irregularidades no último pleito.

“O pessoal me cobra prova de fraudes. Olha, os indícios levam à prova”, disse Bolsonaro.

“Não haverá eleições democráticas. Qualquer um quer eleições limpas”, concluiu.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO