Sem vacina

Sem vacina
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Jair Bolsonaro recorre agora à OMS para defender a vacina facultativa.

Ele citou a médica brasileira Mariângela Simão, que disse ser contra “medidas autoritárias” nessa área, como a obrigatoriedade da vacina.

Ela disse também:

“Não vai ter vacina suficiente no ano que vem para vacinar toda a população, então o que a OMS está orientando é que haja uma priorização de vacinar profissionais de saúde e pessoas acima de 65 anos ou que tenham alguma doença associada. Eu diria que 2022 é um ano que vamos ter mais vacinas porque a gente está com tanta vacina em desenvolvimento.”

Leia mais: Vacina boa é a que funciona e ponto final.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 68 comentários
TOPO