A Semana em 5 Pontos: 20 dias para as eleições

Confira os principais destaques desta semana:

1) Termina hoje o prazo para a substituição de candidatos. Depois disso, só poderá haver troca em caso de morte.  A tendência é que não haja desistência de candidatos presidenciais, embora exista o burburinho de que Cabo Daciolo, do Patriota, poderá abandonar a disputa.

2) Novas pesquisas nacionais serão divulgadas ao longo da semana, testando cenários de segundo turno e mostrando, principalmente, o potencial de votos de Fernando Haddad, o poste do presidiário, e de crescimento de Jair Bolsonaro, que continua internado no Albert Einstein.

3) Acompanharemos a reação dos líderes do Centrão que decidiram apoiar Geraldo Alckmin ainda antes do início oficial da campanha. Ainda que tenha o maior tempo de TV no programa eleitoral, o tucano não consegue decolar nas pesquisas, o que ameaça a solidez de suas alianças partidárias nesta reta final.

4) Fernando Haddad, o candidato do PT ao Planalto, visita hoje Lula na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. Petistas prometem, se voltarem ao poder, soltar o ex-presidente. E ainda cogitam colocá-lo no governo.

5) Continuaremos monitorando o estado de saúde de Jair Bolsonaro, líder em todas as pesquisas de intenção de voto na corrida presidencial, e as estratégias de sua campanha.

De resto, estão previstos três debates entre presidenciáveis: Poder 360/revista Piauí (terça-feira), revista Veja (quarta-feira) e TV Aparecida (quinta-feira).

E, claro, ficaremos de olho na delação de Antonio Palocci.

Bom dia, boa semana.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Chega a ser tão absurdo esse negócio de um candidato ir na cadeia perguntar a um presidiário como deve proceder, que não sei nem como classificar essa omissão, safadesa do TSE, justiça e Políci

Ler mais 12 comentários
  1. Chega a ser tão absurdo esse negócio de um candidato ir na cadeia perguntar a um presidiário como deve proceder, que não sei nem como classificar essa omissão, safadesa do TSE, justiça e Políci

  2. São menos de 20 dias, haja vista que há um período de suspensão de debates e propagandas antes do dia do pleito. Esta é a razão do Geraldo Rodoanel estar desesperado. Cenário de terra arrasada!