Senador chama episódio do veto a reajuste de servidores de "bafafá gratuito"

O governista Jorginho Mello (PL) foi um dos 42 senadores que votaram pela derrubada do veto de Jair Bolsonaro que, mantido na Câmara, impede o reajuste de servidores até dezembro de 2021.

Em vídeo gravado para as suas redes sociais, Mello disse que “nunca falseou uma verdade” e, para tentar explicar seu voto, recorreu ao argumento de que a derrubada do veto “apenas” abriria a possibilidade para que prefeitos e governadores dessem aumento.

“Nós resolvemos excepcionar, tirar alguma categoria que poderia ter aumento.”

A derrubada permitiria o reajuste de uma série de categorias: servidores de carreiras periciais, agentes socioeducativos, profissionais de limpeza urbana, de serviços funerários e de assistência social, além de trabalhadores da educação pública e profissionais de saúde.

O parlamentar classificou a reação à votação no Senado de “bafafá gratuito”.

Em uma tensa reunião fechada na semana passada, Mello era um dos mais exaltados.

Ontem, como noticiamos, os senadores aprovaram um requerimento de convite para que Paulo Guedes explique a declaração de que a derrubada do veto foi “um crime”.

Leia mais: Um dos principais ex-aliados de Bolsonaro apresenta as 3 razões do rompimento com o presidente
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 9 comentários
TOPO