Senador dilmista é acusado de espancar amante

Telmário Mota, um dos partidários de Dilma Rousseff no Senado, foi acusado de espancar sua amante até provocar seu desmaio.

A Folha de S. Paulo teve acesso aos documentos da Polícia Civil de Roraima.

Maria Aparecida Nery de Melo disse que o senador dilmista, com o qual “viveu maritalmente por cerca de três anos e meio”, agrediu-a com “socos e chutes” e ameaçou-a de morte.

As agressões foram confirmadas por exame de corpo de delito, que apontou “múltiplas lesões na cabeça, boca, orelha esquerda, região dorsal, braço direito e joelho esquerdo”.

E mais:

“Ela narrou ter sido chutada quatro vezes no chão e empurrada contra a parede. Disse que o parlamentar passou a lhe dar murros na cabeça, o que a teria feito desmaiar”.