Senador do DF explica voto pela derrubada do decreto das armas

O senador Reguffe (sem partido) ocupou a tribuna do plenário hoje para, entre outras coisas, relatar “agressões e mentiras” por ter votado pela derrubada do decreto das armas.

“Eu, no primeiro dia do meu mandato, entre as várias coisas das quais abri mão, como aposentadoria especial de parlamentar, plano de saúde vitalício de senadores, abri mão também do carro oficial, da cota de gasolina, de motorista. Eu não tenho segurança. Aliás, abri mão disso tudo, em caráter irrevogável no primeiro dia do meu mandato. Nem que eu queira eu posso voltar atrás. Eu venho para o Senado todos os dias, dirigindo o meu próprio carro e sozinho.”

Após a publicação desta nota, o senador entrou em contato com O Antagonista para acrescentar:

“Respeito a opinião de todo mundo, mas coloquei a minha opinião, com base no que defendo desde a campanha: uma coisa é posse de arma, outra coisa é porte de armas. Em várias votações, votei com o governo. A sociedade vai ver muito mais convergência do que divergência minha com o atual governo. Já, inclusive, declarei voto favorável ao pacote anticrime.”

Comentários

  • Presidente-XVII -

    O povo quer POSSE e PORTE. Se você é pacifista, problema seu. O povo é pacífico, mas não é pacifista. O povo quer ter o direito de reagir, de sobreviver se defendendo, com armas. Difícil?!?

  • Luis -

    Lembrando que Reguffe foi eleito pelo PDT. Gosto da pessoa do senador, mas não coaduno com suas ideias.

  • Carlos -

    Reguffe é putinh@ do Cristovam Buarque

Ler 147 comentários