Senador governista já havia proposto CPMI para investigar estados e municípios

Senador governista já havia proposto CPMI para investigar estados e municípios
Foto: Reprodução

Há pouco, o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga, disse a O Antagonista que o Congresso poderá acabar tendo “um festival de CPIs” de Covid, o que não seria bom, na avaliação dele. Mas já é justamente o que já está acontecendo.

O senador Roberto Rocha (PSDB), que conta com o apoio de Jair Bolsonaro para se candidatar ao governo do Maranhão em 2022, propôs ainda no mês passado um requerimento de criação de CPMI — incluindo senadores e deputados — para investigar especificamente “denúncias de malversação de verbas federais por gestores” em meio à pandemia.

De fato, já são abundantes as notícias de superfaturamento, de tredestinação de recursos, de compras pagas à vista sem entrega de material ou insumos adquiridos (ou de entregas a menor), ou, ainda, de contratações de fornecedores peculiaríssimos para insumos hospitalares, como no caso emblemático da compra de equipamentos dessa natureza em loja de vinhos”, diz Rocha em trecho da justificativa do pedido, ao qual O Antagonista teve acesso (leia aqui a íntegra).

Para protocolar o pedido, Rocha precisará da assinatura de 27 senadores e de 171 deputados.

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO