Senador pede ao STF investigação do ministro da Educação por homofobia

Senador pede ao STF investigação do ministro da Educação por homofobia

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) afirmou que vai entrar com representação no STF nesta quinta-feira (24), pedindo que o Supremo determine ao PGR que investigue o ministro da Educação, Milton Ribeiro, por crime de homofobia.

Em entrevista publicada hoje pelo Estadão, o ministro atribuiu o que chamou de “homossexualismo” a “famílias desajustadas”. “Falta atenção do pai, falta atenção da mãe”, disse Ribeiro. Também disse ver “menino de 12, 13 anos optando por ser gay”.

O senador Contarato declarou: “Trata-se de um ministro da Educação homofóbico, que violenta criminosamente os princípios de respeito e a igualdade entre as pessoas consagrados na Constituição Federal. Meu repúdio, como homossexual e como cidadão, é absoluto a esse ataque preconceituoso, medieval e sórdido, que exige reação imediata de todas as instituições democráticas”.

Na mesma entrevista, o ministro foi perguntado sobre o trabalho do MEC em reduzir as desigualdades no caso dos estudantes sem acesso à internet, problema que se tornou mais grave com a pandemia. Ribeiro pulou fora: “Essa é uma responsabilidade de Estados e municípios, que poderiam verificar e ter as iniciativas para tentar minimizar esse tipo de problema”.

Ou seja: Milton Ribeiro se preocupa com o que os estudantes fazem no quarto, desde que não tenha a ver com a escola.

Leia mais: Exclusivo: o ‘exílio’ de Weintraub
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 61 comentários
TOPO