Senador temporário, que está em campanha, já gastou quase R$ 100 mil do 'cotão'

A política brasileira tem situações inacreditáveis.

O senador Carlos Fávaro (PSD) ocupou provisoriamente o cargo em abril, no lugar da Juíza Selma (Podemos), cassada por caixa dois e abuso de poder econômico.

Ele, no cargo de senador, está em campanha em seu estado: é pré-candidato à sucessão de Selma na eleição suplementar marcada para novembro, junto com as eleições municipais.

Fávaro já torrou quase R$ 100 mil da cota parlamentar — tudo dentro da legalidade, todas as notas fiscais estão publicadas no site do Senado.

Somente com “divulgação da atividade parlamentar”, o senador usou R$ 62,5 mil de dinheiro público.

O temporário também está usando o cotão para pagar as despesas de seu escritório político e o aluguel do carro com que roda o estado.

Na prática, nós estamos ajudando a financiar a campanha de Fávaro.

Leia mais: A 'Crusoé' investigou a relação entre o advogado de Jair Bolsonaro e a JBS por meses. E encontrou as digitais do presidente e do procurador-geral da República
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 17 comentários
TOPO