Senadores pedem a Alcolumbre freio no 'projeto roda-dura'

Os senadores Mara Gabrilli (PSDB-SP) e Fabiano Contarato (Rede-ES) pediram a Davi Alcolumbre que as mudanças no Código de Trânsito sejam discutidas em comissões antes de o texto ser votado em plenário.

Em 18 de agosto, o projeto estava na pauta, mas foi retirado por 39 votos a 31.

O texto favorece os motoristas barbeiros, domingueiros, mãos-duras e ruins de roda, aumentando a pontuação autorizada antes de a carteira ser cassada.

Foi aprovado de forma expressa na Câmara. A Comissão Especial realizou 10 reuniões e teve outras seis canceladas. O texto, encaminhado ao Congresso pessoalmente pelo presidente Bolsonaro e relatado por Juscelino Filho (DEM-MA), foi votado no plenário pelos deputados sem ter sido votado na comissão.

No Senado, o relator é Ciro Nogueira (PP-PI), que ainda não explicou aos colegas por que o texto é urgente o suficiente para ser votado durante a pandemia.

Gabrilli e Contarato escreveram: “O Brasil conseguiu diminuir o número de acidentes, mas ainda está distante do cumprimento da meta. Segundo o estudo mais recente da OMS, publicado em 2018, o Brasil é o terceiro país do mundo com mais mortes no trânsito”.

Para os senadores, “[n]ão é razoável que o Senado Federal aprove matéria dessa proporção sem antes debater e analisar, por exemplo, os possíveis efeitos dessas mudanças para o nosso sistema de saúde e de reabilitação, já tão comprometidos”.

No texto, enviado a Davi Alcolumbre na última quarta-feira (26), os senadores pedem que o novo Código de Trânsito tramite em três comissões: Assuntos Sociais, Serviços de Infraestrutura e Direitos Humanos.

Assista também:

Leia mais: A 'proposta milionária' para votar com o governo.
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 8 comentários
TOPO