Separando o ministro do advogado

Mariz de Oliveira é advogado de Michel Temer nos processos da Lava Jato.

Por isso ele não pode ser ministro. Há um conflito de interesse escandaloso. Quem vai impedir o advogado de usar o cargo de ministro para defender seu cliente?

Nesta quarta-feira, o Estadão publica uma entrevista com Mariz de Oliveira.

Na primeira parte, ele fala como advogado de Michel Temer. Na segunda, como ministro. Mas um contamina o outro.

Veja aqui:

Estadão: O vice-presidente Michel Temer é citado por delatores na Operação Lava Jato e poderá ser alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal.

Antônio Claudio Mariz de Oliveira: O que eu posso afirmar é que em relação à Lava Jato houve menção ao Michel na delação de Delcídio (senador Delcídio Amaral) em duas oportunidades. Em 400 folhas de delação fala do Michel duas vezes. Em ambas ele fala a mesma coisa, repete declaração anterior, qual seja, a de que Michel, em 1997, teria indicado João Augusto Henriques para um cargo na Petrobrás. Posteriormente, teria indicado, e a expressão usada por Delcídio é “apadrinhado”, esse mesmo cidadão para ser diretor da Petrobrás. E também teria “apadrinhado” (Jorge) Zelada (ex-diretor de Internacional da estatal). Em 1997 Michel não conhecia João Henriques, só veio a conhecê-lo no início dos anos 2000.

Estadão: Como ministro da Justiça, o sr. poderá interferir nos rumos da Lava Jato?

Mariz de Oliveira: Não vejo nenhuma possibilidade de qualquer tipo de interferência do Executivo na Lava Jato. Acho até, de certa forma, uma irracionalidade acreditar que o presidente da República ou o ministro da Justiça possa interferir no andamento da Lava Jato.

Estadão: Por quê?

Mariz de Oliveira: O ministro da Justiça tem outros assuntos mais relevantes para cuidar do que se envolver em algo que não é da sua competência. E o presidente da República respeitará a separação dos Poderes. Não posso imaginar como o presidente ou o ministro iriam interferir junto ao Ministério Público e aos ministros dos tribunais superiores para que a Lava Jato não avance.

Sim, o presidente da República tem de respeitar a separação dos Poderes. Em primeiro lugar, a separação dos Poderes do ministro e do advogado.

54 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Quem babava para expulsar correspondentes estrangeiros inconvenientes era Lula. Deixem GG derrapar na própria língua. Se GG adquiriu a cidadania brasileira pelo casamento, até pode dar pitaco em assuntos internos na condição de eleitor e pagador de impostos, mas que não tente acumular essa condição com a de “correspondente estrangeiro” nem arrote isenção jornalística.

  2. Quem acompanha o debate político nos EUA deve conhecer Greenwald como um dos alvos do rótulo #RegressiveLeft – um expoente do cretinismo de extremo-esquerda que mesmo a maioria dos “liberais clássicos” estão finalmente repudiando.

  3. O descrédito desse jornalista se tornará maior ainda quando se mostra toda estratégia de maketing político criado por João Santana em fevereiro de 2015 quando do evento na ABI em defesa da Petrobrás e da democracia, como peça para tentar bloquear o avanço da lava jato em Lula e ameaçar a população com o exército de Stédile já que temiam a primeira manifestação de 15 de março. Ali começou a queda de Lula que culmina com essa farsa montada não só por blogs sujos como também com alguns jornalistas internacionais. Resta saber como ficarão os leitores quando perceberem a versão errônea dos fatos

  4. Caro Mainardi, O verdadeiro enfrentamento se dá contra o discurso da competência; – Às vésperas de cada manifestação, para as quais as pessoas tinham que vencer o centenário descrédito, surgia, na capa da “folha” o Fernando Henrique, dizendo, entre outras estultices, “a Dilma é uma pessoa honrada”. É esta zelite, tão bem representada pelo PSDB que se apresenta como obstáculo à autonomia do povo brasileiro. Menos Estado, fora burocracia estatal, e como disse Darci: Viva o povo Brasileiro! Por fim, este mula não vale uma linha.

  5. O problema desse pessoal pretensamente “politizado” é que aprenderam na faculdade que a esquerda é boa e a direita é ruim, e que portanto ser “de esquerda” é muito mais bacana… Independente desse fundamentalismo dogmático absolutamente equivocado, cometem outro erro ainda mais grave que é achar que o PT é um partido de esquerda, quando o PT em verdade é apenas e direita de si mesmo.

  6. Ainda bem que temos -poucos ainda- para se contrapor a jornalistas deletérios como esse Greenwald,que deve ser pago para isso,para pagar seus gastos de viver no Rio de Janeiro.Os jornalistas que não se corromperam,tem osAntagonistas,a Joice Hasselman e outros que mantiveram sua integridade,coerência , bom caráter e compromisso com a verdade; além é claro de terem inteligência e discernirem o bom do mau.Bemaventurados os bons jornalistas que tem um papel importante em todo esse processo de libertação das mentes e corações dos brasileiros do bem.

  7. Não dá para perder muito tempo com gente desse tipo, para que tal imbecilidade não seja validada pelo nosso silêncio a única coisa que esse Glenn Greenwald merece é manda-lo para o quinto dos infernos.

  8. Quando vocês mencionaram o nome dessa criança referente a uma reportagem encaminhada por ele à CNN, não me recordava que ele e seu/sua marido/esposa eram os responsáveis por aquela presepada dos documentos secretos. Esse sujeito é um néscio, um histérico cuja mente vive em um universo paralelo distante da realidade. Se Luizinacio fosse filmado roubando um cinzeiro de prata de um restaurante escreveria um artigo culpando o restaurante, a filmadora, o FHC (que, pensando bem, é o culpado de toda essa história – fosse mais safo tinha matado a jararaca no ninho) e até o cinzeiro. Ser abjeto.

  9. Repetir e repetir que é golpe, esta é a estratégia da esquerda, a mesma que adotaram a partir de 1964. Quem fez revolução em 1964 foram os socialistas totalitários, os mesmos que hoje estão no governo e pretendem transformar o Brasil numa ditadura socialista. Foi isso que os militares evitaram, quando a classe média foi as ruas e apoiou a ação militar.

  10. Caras como esse Greenwald enterram bem fundo a profissão de vocês. Fiquei até deprimido. Se ele mente tanto em um assunto que conhecemos bem, imagine nos outros, que lhe renderam reconhecimento internacional. QUE PIADA.

  11. Glenn Greenwald, depois de andar pelo mundo, arranjou um terrorista pra chamar de seu e, veio dar aqui no Brasil… http://acapa.virgula.uol.com.br/mobile/noticia.asp?codigo=23180

  12. a melhor materia e talvez uma das mais honestas que sairam sobre a situaçao atual brasileira ,e fazendo uma analize um pouco mas profunda de como se chegou a esta situaçao foi um artigo de ontem no WSJ , o jornal de maior circulaçao americano ,onde traça um quase total paralelo da verdade .

  13. Se o wikipravda ajudou o lulinha então também ajudaria greenwald, o problema é que além de uma fonte de informações é necessário ter um cérebro que processe a coisa toda.

  14. glenn greenwald , nao e aquele pseudo jornalista britanico que começou a fazer as denuncias seletivas de escutas e de emails enviados ou receptados , pelo governo americano em varios paises , e eel citou as da dilma roussef , sem contudo dizer nada sobre o acordo de lula com a dassault , que segundo o guardian seria a aposentadoria milionaria do lula , se forem investigar podem ter certeza que ele tambem faz parte dos pseudos jornalistas amestrados pagos com dinheiro do petrolao.

  15. Esclarecedor o artigo a seguir sobre a diferenca de artigos assinados e a posicao dos jornais estrangeiros – https://medium.com/@PedroDoria/a-imprensa-estrangeira-no-v-golpe-99d9c7140aab#.ci9qzotr6

  16. O artigo do Glen Greenwald é estrume argumentativo ad hominen. O autor sequer aborda a acusação que pesa sobre a presidente, também não faz menção a argumentos que provem de maneira inequívoca que a presidente não cometeu os crimes a ela imputados. No entanto, diante de tão vexatória defesa, o autor não se constrange em taxá-la de honesta. Do lado oposto, a mesma lógica rasteira é observada, porém, reservando conotação pejorativa aOs Antagonistas da presidente. Chega ao absurdo, e vai além, ao considerar os 70% brasileiros que querem a destituição constitucional da presidente de oligarquias.

  17. Chega a ser escancarada a parcialidade petista desse jornalista estrangeiro. E hoje, quem apóia esse governo petista, assume posição contra Democracia, contra Lisura, contra Constituição, contra as Leis, haja vista, ser um governo criminoso. Assim, muito difícil entender como uma pessoa como Joaquim Barbosa que se mostrou honrado, honesto, tem coragem de vir a público e defender reportagens desse jornalista? Ou a máscara caiu? Ou é mantido em cativeiro pela ORCRIM?

  18. Esse indivíduo disse que o maior prazer dele é ser xingado. Ele tenta ser o mais asqueroso para conseguir isso. Então, apesar da dificuldade, o melhor é ignorá-lo, não lhe dar combustível.

  19. Concordo com a jornalista Lúcia Guimarães: acho que o autor desse “testo” quer um “pretesto” pra se candidatar a vereador ou deputado. => https://twitter.com/davidmirandario/status/723964815069351937

  20. Vi nesta semana uma reportagem da CNN em que Greenwald conversa com a âncora sobre o impeachment. Fiquei tão impressionado com o seu cinismo ao relatar uma versão até mais petista do que a dos militantes mais fanáticos que fui pesquisar desde quando ele mora no Brasil, imaginando que seu discurso estaria afetado pelo pouco conhecimento de nosso país. Surpresa: o blogueiro mora no Rio desde 2005 junto com seu namorado carioca e passava temporadas na cidade desde 2000. Para quem conviveu com escândalos petistas desde os idos do mensalão, desconhecimento não é. Haja ideologia e/ou pixulecations.

  21. Bom dia, meninos1 Como já definido, ele foi..é e continuará sendo…por isso esperneia, grita injúrias aos quatro cantos! Fazer o que…serviu de mula para os cleptocratas!

  22. Ironico é como petistas estão compartilhando o artigo de David Miranda no The Guardian (um artigo de opinião) como se fosse a posição oficial do jornal, ignorando o fato de David Miranda ser brasileiro e militante do PSOL. Mostram uma leva de artigos assinados por Gleenwald e seu parceiro como prova do posicionamento da imprensa internacional contra o “golpe”